[ editar artigo]

'A Garota no Gelo' mereceu virar um sucesso de vendas

'A Garota no Gelo' mereceu virar um sucesso de vendas

Foto: Ana Bubola 

Hora de voltar a escrever sobre livros de suspense, que há algum tempo não são assuntos na coluna. E o tema da vez é o excelente A Garota no Gelo – Robert Bryndza – Editora Gutenberg – 2016, best-seller (livro que foi muito bem vendido) cujo principal personagem é a detetive Erika Foster, a estrela de um thriller situado na gelada Londres, na Inglaterra.

O livro já começa com momentos de tensão quando o leitor se depara com um crime brutal. O cadáver de uma mulher é localizado dentro de uma grossa e resistente camada de gelo, em um parque na região sul da capital inglesa, e Erika Foster, apesar de temporariamente afastada por sérios problemas em investigações passadas, é convocada para comandar a caçada ao assassino. O caso parecia algo isolado, mas de repente a detetive se vê em meio a uma série de mortes misteriosas, todas com o mesmo desfecho: vítimas estranguladas, com as mãos amarradas e os respectivos corpos encontrados nas águas frias da cidade. 

A personagem de Erika Foster é a grande responsável por manter a qualidade durante a trama. Ela tem uma vida um tanto quanto conturbada devido aos estresses da profissão e em muitos momentos seus problemas pessoais confundem-se com as questões do trabalho, mas mesmo assim ela não deixa de focar no curso da investigação, pois sabe que muitas vidas estão em jogo. Como todo livro de assassinato em série, é muito interessante observar o relacionamento entre detetive e assassino, algo muitas vezes presente nesse gênero. Uma relação intensa e um dos grandes atrativos da obra. 

O legal de A Garota no Gelo é a dificuldade em descobrir quem é o criminoso. Isso só acontece nas últimas páginas, e se constitui em um ponto muito positivo para Robert Bryndza, cuja habilidade e inteligência para desenrolar a história colaboraram na construção de um livro que foi fenômeno de vendas na Amazon dos Estados Unidos e também na do Reino Unido à época do lançamento da obra. 

Foi muito bacana ver o nascimento de uma personagem forte e guerreira como Erika Foster. Na realidade, como nos é contado no livro, pode-se dizer que a detetive renasce durante o desenvolvimento de A Garota no Gelo. Mesmo com fortíssimos traumas decorrentes de investigações anteriores, ela seguiu em frente e encontrou um significado para sua vida. Mais uma grande inspiração vinda do universo literário. 

Colunistas - RIC Mais PR
Guilherme Osinski
Guilherme Osinski Seguir

Formado em jornalismo pela PUCPR, Guilherme Osinski é natural de Curitiba e apaixonado por livros, principalmente os de suspense e ficção policial.

Ler matéria completa
Indicados para você