[ editar artigo]

A Maior final da Libertadores

O Grêmio atual campeão da competição, vinha de um ótimo retrospecto em confronto contra as equipes argentinas, tinha vencido o Independiente na Recopa, eliminado o Estudiantes e o Atlético Tucuman esse ano e para aumentar o favoritismo a equipe mesmo desfalcada de Luan e Everton foi ao Monumental de Nunes e venceu o River Plate por 1x0 no jogo de ida semana passada, lá o Grêmio que sempre atacou sob o comando do técnico Renato Gaucho jogou de forma diferente, atrás, recuado esperando o adversário e venceu com um gol de cabeça numa jogada de bola parada. Nessa terça em Porto Alegre a equipe ainda não pode contar com o zagueiro Kanemann suspenso, com Luan lesionado e com Everton apenas no banco, o River entrou com Lucas Pratto no ataque, fez marcação alta, encurralou o Grêmio todo o primeiro tempo, perdeu gols e numa única jogada de ataque o lateral Leonardo marcou para o Grêmio aumentando a vantagem tricolor, já no segundo tempo o River se lançou de maneira desordenada ao ataque e num contra ataque mortal o Grêmio teve a chance com Everton que cara a cara com o goleiro Armani errou e logo o River empatou o jogo numa bola parada em que o atacante Borré tentou cabecear mais colocou a mão na bola (o juiz e o VAR não viram), tudo corria tranquilo ainda para o Grêmio mais Bressan ele que acabará de entrar no lugar do Paulo Miranda, colocou a mão na bola num lance em que poucos viram e dessa vez o VAR avisou o juiz, pênalti convertido por Martinez virada argentina, classificação improvável da equipe dirigida por Marcello Gallardo que suspenso tentou ir ao vestiário do River no intervalo da partida sendo retirado pelo delegado do jogo, tristeza em Porto Alegre e o fim do sonho dos tricolores em chegar a segunda decisão consecutiva da Libertadores, agora resta aos Gaúchos a vaga via Campeonato Brasileiro! 

Já em São Paulo a missão Palmeirense era mais difícil já que semana passada a equipe do técnico Luiz Felipe Scolari havia perdido por 2x0, gols de Dario Benedetto já no fim da partida, o Palmeiras começou com tudo, trocou Borja por Deyverson e Moisés por Lucas Lima e logo marcou com Bruno Henrique porém o VAR mais uma vez entrou em ação e anulou o gol marcando impedimento correto do ataque alvi-verde, pouco depois o Boca chegou pela direita e Abila atacante que já jogou pelo cruzeiro, trombador se antecipou a zaga e marcou o gol para os argentinos aumentando ainda mais a vantagem. Nessa altura o Palmeiras precisaria marcar mais 4 gols para se classificar, começou o segundo tempo e logo aos 8 minutos o zagueiro Luan empatou a partida, pouco depois penalty marcado sobre Dudu, o zagueiro Gustavo Gomez bateu e marcou a virada da equipe paulista, mais que sem força ofensiva não conseguiu o terceiro gol e viu o carrasco Benedetto marcar o empate de fora da área, classificando o Boca para mais uma final dessa vez sobre o comando dos irmãos Schelotto eles que foram jogadores da equipe e ganharam a competição nos anos 2000.

Será a maior decisão da história da competição não há duvidas sobre isso, os Argentinos são os maiores vencedores da competição, nem mesmo se houvesse um Fla xFlu, um Corinthians x Palmeiras, um Galo x Cruzeiro seria tão espetacular como será essa final, talvez em termos de rivalidade um Grenal seria algo parecido mais apenas em comparação regional, o Superclássico como eles chamam a partida é nacional, divide um país, mexe com todos que amam o futebol na América do Sul. Vale lembrar que essa final será um prêmio ao futebol, já que ano que vem a Conmebol decidiu que teremos final em jogo único, em uma cidade já pré-definida  então nada mais justo que essa final venha a premiar o futebol argentino, os torcedores argentinos que a exemplo do nosso sofre também com corrupção de seus cartolas e toda a bagunça que ocorre na AFA nos últimos anos. Esse ano foram disputados 03 jogos entre River x Boca e o River levou a melhor nos três jogos, em Janeiro, em Março pela Supercopa Argentina e por último em La bambonera pelo Argentino em Setembro, todos pelo mesmo placar 2x0. Será agora um jogo inesquecível com toda a certeza.

Sérgio Soares (Comentarista RIC Mais e Rádio Independência)

Ler matéria completa
Indicados para você