[ editar artigo]

A transformação precisa começar conosco, em nosso lar.

A transformação precisa começar conosco, em nosso lar.

"Não é necessário irmos muito longe para mudarmos o mundo, comecemos pelo nosso lar. Sejamos mais fraternos e solidário em casa, com a família e amigos. Jamais apontemos o dedo, estendamos a mão. Perdoemos e peçamos perdão. Agradeçamos por tudo, afinal, poderia ter sido pior, é só uma fase e logo passará."

Quando vier aquele pensamento de querer mudar o mundo, sigamos em frente, mudemos! Porém, será que o mundo não é muito grande para mudarmos? Melhor que comecemos pelo nosso lar, entre nossa família e amigos, mudemos nosso jeito com eles, sejamos mais fraternos e solidários, peçamos perdão e perdoemos, não carreguemos mágoa e não deixemos que as carreguem por nós.

Diante de qualquer situação teremos duas opções sempre, fazer ou não fazer. Ao não fazermos, optamos por ficarmos na nossa zona de conforto. Ao fazermos, teremos outras duas opções, agir de forma justa e perfeita ou equivocada, que é quando pensamos apenas no benefício próprio, muitas vezes, até prejudicando alguém. Lembremos que o nosso livre arbítrio determinará a qualidade da nossa colheita futura, que dependerá do não fazer ou fazer de forma justa e perfeita ou equivocadamente...

Além do perdão, devemos realizar outras duas coisas de imediato para promovermos nossa transformação.  Primeiro, sempre que surgir a vontade de reclamar, agradeçamos; pensemos que poderia ter sido pior, que é só uma fase e logo passará. A segunda, sempre será melhor cooperarmos a competirmos.

Quando cooperamos, compartilhamos experiências que fazem com que todos progridam. Quando competimos, criamos um distanciamento, ou porque ficamos para trás ou porque fomos à frente sozinhos. Ah, lembremos que, quando estivermos à frente, não apontemos o dedo, melhor que estendamos a mão aos que vêm atrás.

Por fim, é muito importante entendermos que tudo é temporário, os pensamentos, as emoções, as pessoas e os cenários. Assim, é bom não nos apegarmos ao mundo material e ao passado e futuro. A única coisa que temos certeza é o presente; deixemos, então, a vida fluir, para que possamos viver plenamente e com prazer.

Colunistas - RIC Mais PR
Ler matéria completa
Indicados para você