[ editar artigo]

'As Letras dos Beatles' é uma verdadeira linha do tempo sobre o quarteto britânico

'As Letras dos Beatles' é uma verdadeira linha do tempo sobre o quarteto britânico

Foto: Ana Bubola 

Quem gosta de música naturalmente tem sua banda favorita. Aquela que marcou uma respectiva fase de sua vida com canções de amor ou até mesmo temas considerados bobos, como submarinos amarelos. Muitos dos fãs gostariam de saber um pouco mais sobre o processo produtivo, as histórias das letras, como as melodias foram criadas, ou seja, estar por dentro dos bastidores. E é isso que o autor britânico Hunter Davies nos traz no livro As Letras dos Beatles – Editora Planeta – 2016, obra que detalha mais de 100 clássicos do quarteto de Liverpool, acompanhada inclusive por fotos dos manuscritos originais do grupo.

Hunter Davies, que tinha um contato bem próximo com os Beatles, aborda todos os álbuns da banda e isso por si só já transforma o livro em algo imperdível para todos os apaixonados por John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr. O autor começa por Please Please Me, lançado em maio de 1963, passando pelo excelente Rubber Soul, de dezembro de 1965, até chegar ao ponto final: o álbum Let It Be, lançado em maio de 1970, depois de bastante atraso. E o mais interessante é observar como eles evoluíram musicalmente ao longo dos anos.

Durante o livro vemos como as primeiras canções eram basicamente declarações de amor entre o cantor e outra pessoa. Love Me Do, Please Please Me e From Me to You encaixavam-se nesse padrão, enquanto a famosa She Loves You quebrou isso um pouco, já que é uma música escrita em terceira pessoa, com o cantor tentando reconciliar o amor abalado de algum casal. Em comum, as letras tinham pouco apelo sexual, como é também o caso de I Want To Hold Your Hand, na qual os Beatles, pedindo até “por favor”, querem apenas segurar a mão de alguma menina, embora Hunter Davies aponte que a excitação e intensidade dos vocais nessa canção indicavam que eles queriam algo a mais.

Muitas das letras possuem histórias interessantes, algumas conhecidas e outras desconhecidas pelos fãs. You’ve Got To Hide Your Love Away sempre foi vista como uma música cercada pela angústia de John Lennon, provavelmente sobre alguma garota que ele tenha perdido. Porém, Hunter Davies conta que certas pessoas afirmavam se tratar de uma mensagem para Brian Epstein, empresário dos Beatles e homossexual assumido. À época, a lei no Reino Unido não permitia atos sexuais entre homens, então a letra podia ser um aviso e alerta para Brian tomar cuidado e manter segredo.

Outra música com uma história interessante é Taxman, composta por George Harrison quando ele se deu conta da quantidade de impostos pagos ao governo. Na letra, passagens interessantes como “se você dirigir um carro, eu vou taxar a rua, se você ficar muito gripado vou taxar o calor”. Prova de que eles ficavam mais criativos à medida que o tempo passava, escrevendo sobre outros assuntos que não fossem o amor. Yellow Submarine é outra evidência disso. Paul McCartney, deitado na cama da casa da então namorada Jane Asher, escreveu rapidamente a canção especialmente para crianças. Por isso a predominância de palavras e sentenças curtas, de modo que os pequenos pudessem aprender e decorar facilmente a letra. 

E os bastidores por trás de Hey Jude? Paul McCartney a escreveu para Julian Lennon, o primogênito de John, após a separação de seus pais. Paul gostava do menino e tinha facilidade para lidar com crianças de qualquer idade, diferentemente de John. Inicialmente, a música se chamaria Hey Jules, mas o título mudou para “Jude”, pois soava melhor. Outro clássico explicado por Hunter Davies é Don´t Let Me Down, considerada pelo autor como uma das canções de amor mais tocantes escritas por John Lennon. Davies comenta que o John dessa música é exatamente como o John da vida real: uma pessoa frágil e receosa de que o mundo o deixasse para baixo, apesar de todo seu sucesso e prestígio. 

Com tantas músicas e histórias, é praticamente impossível colocar todas aqui. O certo é que o livro escrito por Hunter Davies é um prato cheio não apenas para os amantes dos Beatles, mas também para os apaixonados por música em geral. É uma linha tempo sobre esse quarteto de Liverpool e ao mesmo tempo sobre a história do rock. Mostra como as experiências pessoais influenciam o processo criativo de uma banda tão famosa. Davies mostra de maneira clara o início e o fim dos Beatles e como isso afetava a vida de seus respectivos membros. As Letras dos Beatles é uma leitura para ser aproveitada e desfrutada.   
 

Colunistas - RIC Mais PR
Guilherme Osinski
Guilherme Osinski Seguir

Formado em jornalismo pela PUCPR, Guilherme Osinski é natural de Curitiba e apaixonado por livros, principalmente os de suspense e ficção policial.

Ler matéria completa
Indicados para você