[ editar artigo]

Cores afoitas no sonho

Cores afoitas no sonho

Livre-me Deus, deste comodismo.

Afasta de mim tudo aquilo que rui.

Não quero descrença num amanhã melhor.

Eu quero poesia e metamorfose.

Preciso de cores e alucinações.

Deus; livre-me de todo comodismo.

 

Senhor: mantenha-me longe dos pessimistas.

Desfaça de mim toda amargura e medo.

Livre-me Deus deste comodismo.

Eu quero sons e cores afoitas.

Preciso de sonhos e de ousadia.

Quero liberdade de dançar sem ter som.

 

Vou acreditar na bondade do mundo.

Gosto de reinventar a vida e os sonhos.

Drible de mim a tristezas, Deus.

Quero mais sol e menos clausura.

Preciso de amor nestes tempos torpes.

Sem medidas, eu simplesmente quero abraçar.

 

Gente cômoda é feia e estúpida.

Há sempre empecilho para os preguiçosos.

Quem não tem objetivo, só torce contra.

Eu quero distância de pessoas assim.

Afasta de mim, Deus, o comodismo!

Eu preciso de sonhos para não parar...

 

Jossan Karsten

Colunistas - RIC Mais PR
Jossan Karsten
Jossan Karsten Seguir

Jornalista, publicitário e escritor.

Ler matéria completa
Indicados para você