[ editar artigo]

Dança do fogo

Dança do fogo

O fogo crepita na lenha seca.

Na mochila, todos os meus bens.

A bússola na areia aponta meu norte.

Viajo sozinho e não tenho pressa.

 

Na caneca, o café solúvel recende.

Sopra um vento gelado na montanha.

A labareda se retorce como numa dança.

Sinto nos olhos o cansaço do dia.

 

Tiro as botas e massageio meus pés.

Alívio de um dia de jornada e amor.

Tomo o café e preparo o jantar.

Comida enlatada que comprei na vila...

 

Deixei para trás muitas coisas.

Viver é renúncia e recomeço.

Pretendo descansar e seguir pela manhã.

Meu saco de dormir é a minha casa.

 

Preciso de tempo nesta viagem.

Ando pela vida sem pensar em muita coisa.

Vou me virando com o que tenho e posso.

Meu único grande plano é apenas existir.

 

Uma coruja voou num rasante e se foi.

O vento fez a chama dançar com sensualidade.

A comida enlatada já está pronta. Como sem pressa.

Satisfeito, preparo mais um café. Degustação?!

 

Há poucas estrelas no céu nesta noite.

Não há sequer um prenúncio de lua.

Insistente, o vento sopra com força.

Dança a chama. Reverberar de ilusão.

 

No chão, a bússola aponta para o norte.

O fogo ilumina meus sonhos de viver.

Sou andarilho e descanso da jornada.

Relaxo meus pés e mergulho num sono.

 

Jossan Karsten

 

Colunistas - RIC Mais PR
Jossan Karsten
Jossan Karsten Seguir

Jornalista, publicitário e escritor.

Ler matéria completa
Indicados para você