[ editar artigo]

De quem é a responsabilidade??

De quem é a responsabilidade??

  Aprendi desde cedo que se tenho problemas, a primeira pessoa a se empenhar para resolvê-los tem que ser eu mesma. A falta de médicos nos lugares mais distantes e pobres do país é uma questão brasileira. As soluções paliativas nos mostram, como Cuba, que não resolvem e ainda criam um problema ainda maior. Temos mais médicos por habitantes do que o recomendado pela OMS. A dificuldade é a distribuição desses profissionais. No Paraná, há cidades que têm 70% dos médicos do Programa, como o caso de Ponta Grossa. Dos 80 médicos da cidade, 60 fazem parte do mais Médicos e devem deixar de atender, deixando pacientes na mão.

Em Assaí, norte do estado, a comitiva de fora, enviada pelo Programa mais Médicos, representava quase 70 % do total de médicos da cidadezinha de pouco mais de 15 mil habitantes. Desfalque pra gente humilde, que recebe  inclusive a visita desses médicos na própria casa. 

Para tentar reverter o prejuízo, o governo federal lançou edital para médicos. Até o fechamento deste texto, início da sexta-feira, mais de 7 mil profissionais se inscreveram  no Programa  Mais Médicos para preenchimento das vagas. Mas há outros meios de suprir a falta dos cubanos. 

Temos 26 mil médicos formados com o Fies que estão inadimplentes. Por que não usar essa força de trabalho, já que usaram dinheiro público para sua formação? E os estudantes de universidades públicas? Por que não dão sua contribuição também? Ambos poderiam ser aproveitados no Mais Médicos, estamos falando de milhares de profissionais em contraponto aos 8 mil cubanos que estão indo embora. Entre financiar ditadura e financiar nossa saúde, fico com a segunda opção. Isso sim é solidariedade.

Colunistas - RIC Mais PR
Ler matéria completa
Indicados para você