[ editar artigo]

Demasia

Demasia

Vou te inundar de poesia e versos soltos.

Quero te embebedar de paixão e néctar natural.

Vou gritar aos quatro ventos teu nome.

Pouco me importa se me chamarem de louco.

 

Quero te buscar nas madrugadas ouvindo múrmuros.

Preciso do calor do teu corpo no meu. Necessidade.

Divago e tremo só em relembrar de tudo.

Necessito cada vez mais da tua loucura.

 

Sim, somos loucos, somos a demasia.

Juntos, transbordamos numa avalanche de desejos.

Ao te sentir em minha língua, viajo no tempo, decolo.

Deixo que a onda de prazer quebre. Mergulho em ti.

 

Peço que venha, que me encontre e que me morda.

Em uma esquina qualquer, podemos gozar ensandecidos.

Nada impede quem tem paixão nos olhos e furor nas células.

Viver se torna o maior prazer quando me cavalga na doma.

 

Jossan Karsten

Colunistas - RIC Mais PR
Jossan Karsten
Jossan Karsten Seguir

Jornalista, publicitário e escritor.

Ler matéria completa
Indicados para você