[ editar artigo]

A entrevista e o mecânismo

A entrevista e o mecânismo

 

Todos sabem que ex-presidente Lula concedeu uma entrevista aos jornais Folha de SP e ao jornal El País.  Entretanto vamos analisar aqui o que está por trás da entrevista.

Vamos primeiro desmembrar pontos da entrevista que chamam muita atenção e que comprometem a credibilidade de mais uma reportagem da Folha:  O Lula declarou que estava feliz porque eram dois amigos pessoais Mônica Bergamo, jornal Folha de SP, e jornalista Florestan Fernandes Júnior, do jornal  El País, que estavam ali entrevistando. Lula tinha uma folha com as perguntas da entrevista, ele olhou diversas vezes para folha lendo. O que leva a pensar que existia um roteiro que o beneficiava. Ficou bem claro que Lula quer a anulação da pena e uma vez isso acontecendo sairá em carreata para concorrer à presidência da república. Houve uma falsa narrativa criada pelos jornalistas e Lula que o ex-presidente é um preso político. Foi visível o discurso de ódio contra os agentes públicos que fazem parte da operação Lava Jato e ficou bem claro que ele quer vingança. Também houve um momento que Lula criticou duramente  a reforma da previdência dando total apoio às castas do funcionalismo que não querem que o sistema da previdência mude. Desdenhou do modelo econômico de livre mercado e hiper valorizou o modelo petista ( vamos deixar claro que todas as classes sociais entenderam que não deu certo),criticando duramente o ministro Paulo Guedes. Como não aceita a vitória do seu maior oponente na corrida presidencial de 2018 citou uma suposta conspiração internacional patética que reuniu evangélicos, católicos, grupos de comunicação coordenadas pelo presidente Bolsonaro,o ministro Sérgio Moro, as forças armadas brasileiras e o departamento de justiça norte americano,( Se tinham fraudes nos EUA contra o sistema financeiro ligadas a Petrobras como não investigar?). Só faltou dizer que o ET Bilu e o ET de Varginha também estavam envolvidos.  Questionado se tinha uma auto critica Lula disse que seu único arrependimento era não ter regulamentado os veículos de comunicação para evitar matérias, segundo o ex-presidente, mentirosas que difamaram ele e o PT. Uma posição clara de ódio e autoritarismo contra as empresas de comunicação que fazem um jornalismo imparcial e de qualidade. Será que Lula acha que é um ditador Bolivariano?

Agora vamos a mídia: Todos sabemos que existem uma parcela na indústria da comunicação, também conhecidos como os  amigos do Rei que perderam bilhões em verbas governamentais de publicidade. De 2003 até 2017 os governos PT investiram através de estatais, propagandas do governo, financiamento de blogs de jornalistas famosos entre outros no montante de R$ 29,5 Bilhões. Imaginem o impacto econômico. Como esses grupos caíram em descrédito devido aos seus erros por fakenews, manipulação de pesquisas com a intenção de destruir a imagem de Bolsonaro na campanha presidencial de 2018, precisam das verbas publicitárias governamentais, caso contrário, vão a falência. Até porque com a economia em quase colapso devido às políticas econômicas do PT, a iniciativa privada não consegue investir em mídia como antes. Como disse o renomado jornalista Alexandre Garcia em seu discurso de agradecimento por uma premiação na edição 2019 do Fórum da Liberdade " Meus colegas jornalistas me perguntaram como a população tinha elegido Bolsonaro depois de toda a campanha midiática para Haddad ganhar?" Alexandre Garcia respondeu. “Simples, a população estava insatisfeita e respondeu nas urnas.”

Vamos ao mecanismo. Como diria José Padilha diretor dos blockbusters Tropa de Elite I e II, o mecanismo se reajusta e trabalha nas sombras para nada mudar na república, pois assim a mamata teoricamente não acaba. Mega engano do membros do mecanismo porque se não tiver reforma da previdência e reforma tributária o Brasil quebra em 2022. Então se avaliarmos as campanhas difamatórias da proposta da nova reforma da previdência, os ataques às privatizações, o mi mi mi das supostas minorias oprimidas,a tentativa de convencer a população que existe instabilidade política causada pela falta de articulação com o congresso nacional, a deturpação de tudo que o governo faz e o funcionalismo trabalhando em diversos setores articulando para atrapalhar não se importando com nada a não ser a grana no bolso se constata que é  interesse financeiro e não por estarem cometendo injustiças contra a população. Aliás, essa mesma população é que mantém as aposentadorias imorais das castas políticas e dos servidores públicos enquanto ganham um salário mínimo.

E aí caros leitores, a estratégia dos opositores ao governo Bolsonaro consiste em: criar diversas situações para  Lula ser absolvido por alguns membros daquela corte que não podemos falar o nome e que tem poderes para anular as sentenças. Eles também entram no regime da nova previdência.  Lula sai em pré-campanha presidencial pelo Brasil,enquanto os sindicatos que perderam 3,5 bilhões de reais em repasses promovem greves nacionais e acionam os falsos movimentos sociais para queimarem prédios públicos e destruirem propriedade privada. Enquanto isso os políticos de oposição não deixam passar nada no congresso, a chapa Bolsonaro/Mourão toma um impeachment, o presidente da câmara dos deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) convoca novas eleições presidenciais.  Os eleitores de Bolsonaro ficarão desmotivados e os 45 milhões de eleitores do PT elegerão Lula presidente. Entretanto eles só esqueceram duas coisas: Primeiro, a população já se deu conta disso. Segundo são 150 milhões de eleitores cadastrados no Brasil, 47 milhões optaram não votar em nenhum dos candidatos à presidência da república no segundo turno e 58 milhões votaram em Bolsonaro. Resultado 105 milhões de brasileiros não aprovaram mais o modo que a esquerda brasileira administra o Brasil.   Bom, espero que tenhamos descomplicado um pouco do cenário real por trás da entrevista de Lula, o interesse de alguns veículos de comunicação e como o mecanismo está operando nas sombras . Se quiserem saber mais entrem no canal Descomplica Brasil no Youtube.

E aí descomplicou?

Colunistas - RIC Mais PR
Regis Schuch Junior
Regis Schuch Junior Seguir

Régis Schuch Júnior é um publicitário carioca , empreendedor na área de comunicação digital, pós-graduado em Marketing para a indústria do entretenimento , NYU, com curso especialização em Liderança Política e Youtuber.

Ler matéria completa
Indicados para você