[ editar artigo]

Em terra de fake news, quem checa é rei.

Em terra de fake news, quem checa é rei.

Quem nunca recebeu uma mensagem de whastapp, geralmente naqueles grupos de família, dando uma notícia bombástica. Algo inédito, e de tão supreendente, a gente começa a mandar para outros grupos, como forma de espalhar mais rápido a novidade que acabamos de saber. E se é algo que nos agrada, ou que vai de encontro ao que pensamos, a agilidade é maior na hora de replicar. A história se repete também pelas redes sociais, pelo facebook.

Quantas vezes não compartilhamos um post apenas ao ler o título?? Mas quantas vezes lemos o conteúdo da notícia, e mesmo assim , mandamos ver nos compartilhamentos?? Somos um povo sedento de informação. Mas ainda estamos aprendendo a lidar com ela depois que as novas tecnologias nos permitiram o protagonismo nesse processo. Na minha profissão, nunca antes nesses 20 anos,usamos tantas imagens feitas por telespectadores. Que estavam na hora certa, no lugar certo. Pra mim, isso é uma revolução, um fenômeno positivo para a comunicação. Mas perigoso também. Estou falando das fake news, que lideram em muitos momentos o rol de notícias que circulam pelas redes sociais, principalmente, aqui no país. 


Uma pesquisa feita pela empresa Ipsos mostrou que o Brasil tem o maior numero de pessoas que já acreditaram numa fake news. O que difere algo fake, da fake news? Fake, em inglês, significa falso. News, notícia. Ou seja, uma informação falsa quando vira notícia, nasce um problema. Na pesquisa , o Brasil é a nação , em um universo de 27 países, que mais acredita em boatos. Atrás de nós, no triste ranking dos enganados,estão os árabes e sul-coreanos. 


Com tanta informação falsa rodando por aí, é nosso papel fazer uma coisa básica que todo jornalista faz. Checar. Nesse processo, os meios "tradicionais" de comunicação levam uma vantagem estrondosa. A checagem é parte do nosso cotidiano. A dúvida faz parte do nosso dna. Então, minha dica pra você é fazer o mesmo. Não é um processo fácil. É um processo muitas vezes lento , que se contrapõe ao fast food de informações de hoje em dia, mas é um método infalível. Muito mais confiável. 


Em tempos de fake news, vale parafrasear um ditado antigo: "Em terra de fake news, quem checa é rei."

Colunistas - RIC Mais PR
Ler matéria completa
Indicados para você