[ editar artigo]

Lago de sal

Lago de sal

Num lago de sal, batizei meus sonhos.

Sepultei meus medos na areia do deserto.

Nu, caminhei pela noite desconsiderando o frio.

Parei nesta estação invisível à espera da vida.

 

Mas a vida tardou. Ventania e monções vieram.

Esperei mais um pouco. A luz me aqueceu.

O sal do lago penetrou minha pele.

Meus sonhos se libertaram no batismo.

 

A noite de estrelas cobriu o deserto.

Vaguei sem rumo pela estrada muito reta.

Em uma encruzilhada, estaquei apreensivo.

Luzes chegaram do alto. A porta se abriu...

 

Entrei neste sonho salobro e surreal.

Nave-mãe a percorrer o infinito.

Da minha cápsula pude ver o mundo.

Sou estelar e percorro as galáxias.

 

A nave pousou sobre o lago de sal.

Desci e caminhei sob o sol escaldante.

A nave-mãe se foi levando suas cápsulas.

Deixei-me ficar neste tempo não contado.

 

Não sou mais pagão, pois provei do sal.

Batismo de luz neste deserto sem fim.

Não sei de onde vim nem tenho para onde voltar.

Espero a noite chegar. Nu, caminharei a esmo...

 

Jossan Karsten

Colunistas - RIC Mais PR
Jossan Karsten
Jossan Karsten Seguir

Jornalista, publicitário e escritor.

Ler matéria completa
Indicados para você