[ editar artigo]

O intrigante suspense 'Não Queira Saber'

O intrigante suspense 'Não Queira Saber'

Foto: Ana Bubola 

Voltamos aos livros de suspense, meu gênero favorito. O livro da vez é o thriller Não Queira Saber – Lisa Jackson, Editora Bertrand Brasil, 2016- trama cujo grande mistério é o desaparecimento repentino do pequeno Noah, de apenas dois anos, filho de Ava Garrison, uma mãe desesperada, mas confiante de que seu menino continua vivo à espera da volta para casa.

Ava vive em uma grande casa na Ilha Church, junto com seu marido Wyatt e outros familiares. Todos, exceto Ava, acreditam que o garoto Noah se afogou no mar e foi assim levado pela maré. De repente, ela sente que não pode confiar em ninguém e que todos no local sabem a verdade, incluindo o marido, de quem Ava Garrison passa a ter grande desconfiança. 

 O livro é construído em um ambiente misterioso. O cenário contribui para isso, já que, segundo as descrições da autora, a Ilha Church está geralmente nublada, um lugar onde o sol parece não conseguir brilhar. A construção da trama é muito bem feita, já que à medida do seu desenrolar o leitor passa a desconfiar de todos os personagens, incluindo a própria Ava Garrison, mãe do menino desaparecido há mais de dois anos.

No entanto, se tem algo que Não Queira Saber nos relembra é de nunca duvidar da força e perseverança de uma mãe. Ava, por mais que possa existir uma leve suspeita sobre ela, (bem menor se comparado aos outros personagens) é uma mulher cativante, que por maiores sejam os demônios que está enfrentando nunca deixa de acreditar. E está aí uma palavra muito forte, que deveria fazer parte da rotina das pessoas, apesar das dificuldades do dia a dia. Às vezes, um simples pensamento positivo pode mover montanhas.

Não Queira Saber é eletrizante, com um final surpreendente e que nos mostra que muitas vezes o perigo mora mais perto do que imaginamos. Ava Garrison é uma personagem fácil de simpatizar, pois a luta dela é algo que não se restringe somente à ficção, infelizmente. O mais incrível é que ela encara esse fardo praticamente sozinha, mostrando toda a força que as mulheres têm. Um excelente livro, que merece todo o reconhecimento que recebeu da crítica especializada.

Colunistas - RIC Mais PR
Guilherme Osinski
Guilherme Osinski Seguir

Formado em jornalismo pela PUCPR, Guilherme Osinski é natural de Curitiba e apaixonado por livros, principalmente os de suspense e ficção policial.

Ler matéria completa
Indicados para você