[ editar artigo]

Perdão a quem?

Perdão a quem?

Então o presidente do México quer que a Espanha se retrate pela violência e abuso durante a colonização. Quero saber quem vai se retratar pelas milhares de pessoas assassinadas em rituais astecas( afogavam crianças, arrancavam o coração com as mãos com a vítima viva, comiam partes de corpos e arrancavam a pele de jovens ainda vivas num espetáculo tenebroso). Aliás, os astecas eram odiados por outros povos nativos que ajudaram os espanhóis.

Em 2021 completam-se 500 anos da queda de Tenochtitlán e também  200 anos da independência do México. O Governo mexicano acredita que não há como comemorar a data,  sem primeiro  ocorrer uma reconciliação. Para tanto, quer costurar uma retórica  que leve 2021 a ser o ano da grande reconciliação entre o México e Espanha.  Mas nesta tentativa, há desconhecimento histórico e desonestidade intelectual. No mínimo. 

A carta enviada pelo Ministério das Relações Exteriores não repercutiu bem, claro,  em solo espanhol. O governo espanhol " lamentou profundamente" sua publicação e disse que "rejeita firmemente" o argumento de Lopes Obrador. Sabe que ele está jogando para seus eleitores. 

O presidente do México, Andrés Manoel Lopes Obrador  precisa aprender que esse anacronismo só serve para fazer bonito para uma plateia que não conhece a história. Não estou aqui defendendo as barbáries cometidas no século XVI na América Central. Mas julgar fatos e acontecimentos com olhos do século XXI, ou é má fé ou é ignorância. A história da humanidade tem mais sangue do que se imagina. E mais, se a moda pega, os ser humano terá que se desculpar com os dinossauros...

Colunistas - RIC Mais PR
Ler matéria completa
Indicados para você