[ editar artigo]

Quase um mantra

Quase um mantra

Vivo em teu mundo secreto, eu bem sei.

Esconde-me a sete chaves em tua alma.

Disfarça, levanta a cabeça e prossegue.

Eu sei que sou teu segredo. Eu sei que sou...

 

Há uma canção a nos martelar por anos.

Nossa história já virou quase um mantra.

Eu te digo coisas em pensamento. Falo de amor.

Você me ouve, mas me guarda a sete chaves.

 

Vivo em teus labirintos. Contorno-te com carícias.

Eu sei que me invoca nas noites insones.

Sente-me dentro de ti e explode em orgasmos.

Mas continuo sendo teu segredo. Eu sei que sim.

 

Já me vi em situações criadas por ti.

Viajei para além do tempo e te encontrei.

Senti teu calor a me aconchegar no inverno.

Já refrescou minha ira nos verões escaldantes.

 

Mas continuou em teu baú de histórias.

Preso em teu coração, eu me recuso a sair.

Cativa-me com palavras que não pronuncia.

Eu conheço teus sonhos. Eu vivo neles.

 

Somos de um tempo não contado, desmedido.

Este encontro é de muitas eras, de outra vida.

Nossa história se repete e se multiplica.

Em todos os tempos, eu sou teu segredo.

 

Balbucia meu nome e me procura por aí.

Nua, sente-me em tua pele sensível.

Habito tua alma e está entrelaçada em mim.

Viajamos pelo tempo e pousamos num campo secreto.

 

Há sol e água límpida em teu mundo.

O amor dita as regras quando nos encontramos.

Diviso-te na multidão, pois é única.

Eu sei que sou teu segredo. Há muito que sou...

 

Dizer que te amo é pouco perto do que sinto.

Esboço mil faces, mas em todas você está.

Já aprendi a te ler nas entrelinhas sutis.

Repito teu nome. Somos quase um mantra.

 

Jossan Karsten

Colunistas - RIC Mais PR
Jossan Karsten
Jossan Karsten Seguir

Jornalista, publicitário e escritor.

Ler matéria completa
Indicados para você