[ editar artigo]

Segredo lúdico

Segredo lúdico

Eu li um poema nos teus olhos.

Eu vi o mar em tua frente.

Quando dançou, eu vi o céu.

Sorri para a vida quando me abraçou.

 

Gemi de prazer quando nos amamos.

Segurei-te forte na hora do orgasmo.

Lambi do teu néctar quando me molhou.

Contemplei teu sono na noite de lua cheia.

 

Senti a dor quando daquele adeus.

Foi-se chorando, eu bem percebi.

Ficou comigo muito da tua vida.

Meu corpo é templo onde entronizo o teu.

 

E há a transfiguração do amor que se derrama.

Desfaço-me dos medos quando sei que vem.

Preparo-te um banquete, pois é divindade.

De bandeja, ofereço-te meu espírito.

 

O espelho da tua alma me conduz.

Eu vou por teus caminhos e te busco.

Horas mortas ou quase sempre, te amo.

Em meu silêncio, entro em ti.

 

Sei que sente minha presença.

A coisa aqui vem de muito tempo.

Somos alma mais do que gêmeas.

Esconde-me em teus recônditos.

 

E eu te encontro e te abraço.

A noite é curta para tanto sonho.

Nestes olhos, torno a ler poemas.

Em tuas mãos, entrego todas as minhas vidas.

 

E tudo é leve e tudo brilha.

Sonho e realidade se mesclam.

De longe, de muito longe, eu te sinto.

Há um portal e só nós dois temos o segredo.

 

Jossan Karsten

 

Colunistas - RIC Mais PR
Jossan Karsten
Jossan Karsten Seguir

Jornalista, publicitário e escritor.

Ler matéria completa
Indicados para você