[ editar artigo]

Suspense de qualidade em 'A Garota do Lago'

Suspense de qualidade em 'A Garota do Lago'

Foto: Ana Bubola 

Hora de voltar a escrever sobre literatura. O tema da vez é o livro A Garota do Lago – Charlie Donlea, Intrínseca, 2017- um ótimo thriller que se passa na pequena cidade de Summit Lake, nos Estados Unidos, e que narra a história por trás do assassinato de Becca Eckersley, estudante de direito e tida por muitos como uma jovem extremamente doce e esforçada. 

Um aspecto muito interessante do livro é que ele começa exatamente na noite em que Becca foi morta, para assim poder voltar ao passado e descrever os acontecimentos que antecederam a fatídica noite de 17 de fevereiro de 2012. A cronologia não é linear, pois o autor transita entre o antes e depois do assassinato, e assim somos apresentados a novos personagens, importantes no desenvolvimento da trama. 

É o caso de Kelsey Castle, repórter de uma importante revista local e que se desloca até Summit Lake para investigar o caso e descobrir a verdade sobre um crime aparentemente sem solução. Acredito que foi aí que Charlie Donlea conseguiu trazer um algo a mais para o livro, pois criou uma repórter incansável e que em muitos momentos fez o papel da polícia, sendo a grande responsável por dar ritmo à trama de A Garota do Lago. 

O mais legal é que Kelsey tinha um só objetivo primeiramente: captar a história para poder publicá-la posteriormente. Porém, quanto mais ela descobria sobre Becca Eckersley, mais ela se sentia fortemente ligada à jovem assassinada, mesmo sem tê-la conhecida em vida. E isso foi algo muito bem explorado pelo autor, já que agora Becca não era apenas um assunto profissional para Kelsey, e sim um assunto pessoal e que mexia com a jornalista. 

Outros personagens também surgem no enredo: Brad, Jack e Gail, amigos de Becca na universidade e que podem ou não saberem algo sobre a noite do crime. Nesse ponto, o livro ganha em emoção, já que as suspeitas caem ao mesmo tempo sobre muitas pessoas. Gostei muito do fato de um dos personagens principais ser uma jornalista (profissão na qual tenho diploma), pois, ao menos para mim, ficou claro que esses profissionais não são imunes às emoções, sendo mais que normal demonstrar isso, sentir empatia e compaixão por alguma fonte ou história em particular. 

O livro é muito bom e capaz de envolver o leitor do início ao fim. Ideal para quem gosta de um suspense que se passa em uma pequena cidade do interior e cuja sequência temporal não é linear, o que, pelo menos em mim, muitas vezes aumenta a expectativa, pois em um momento pareço perto de saber a verdade e no capítulo seguinte o autor avança ou volta no tempo, deixando o desfecho mais adiante. A Garota do Lago foi um livro do qual não me arrependo de ter comprado, e acredito que tem tudo para conquistar você também. 
 

Colunistas - RIC Mais PR
Guilherme Osinski
Guilherme Osinski Seguir

Formado em jornalismo pela PUCPR, Guilherme Osinski é natural de Curitiba e apaixonado por livros, principalmente os de suspense e ficção policial.

Ler matéria completa
Indicados para você