[ editar artigo]

Voar

Voar

Gosto do outono e de suas peripécias.

Há poesia no voar das folhas secas.

Como um solista, o vento assobia canções.

Amo este tempo de mudança e de espera.

 

Amores brotam no outono.

Há paixões que se vão com o vento.

A chuva cai mansa em períodos assim.

Os espíritos amainam na meia-estação.

 

Do lago sopra uma brisa pela manhã.

Do alto, dá para sentir a novidade.

Bem ao longe, pássaros voam afoitos.

Nas folhas secas, a leveza da vida.

 

Sou fã do outono e de tudo o que ele representa.

Percebo a vida em suas minúcias.

Pela minha janela, contemplo a manhã.

Lá fora, as cores dançam e voam... Voam...

 

Solista que é, o vento persiste.

Há um dueto do vento com o rugir da cidade.

Percebo canções que sobem do lago.

Em mim, o arrepiar da pele na ânsia pelo novo.

 

Abasteço-me de fé, desço as escadas e prossigo.

Quero um café na rua, quero a paz do outono.

Ando pelo gramado e não me importo com o bolso vazio.

Tudo na vida é fase e esta também vai passar.

 

Jossan Karsten

Colunistas - RIC Mais PR
Jossan Karsten
Jossan Karsten Seguir

Jornalista, publicitário e escritor.

Ler matéria completa
Indicados para você