[ editar artigo]

'Wayne de Gotham' é ótimo para conhecer mais de perto o Batman

'Wayne de Gotham' é ótimo para conhecer mais de perto o Batman

Foto: Ana Bubola 

Quem é fã de verdade de Batman não pode deixar de ler Wayne de Gotham – Tracy Hickman, Casa da Palavra, 2013- um livro cuja história é um tanto quanto diferente das que estamos acostumados a ler ou assistir do homem-morcego. 

Batman é com certeza um dos super-heróis mais famosos e importantes dos quadrinhos, isso se não for o mais interessante deles. Os fatos para isso são muitos, mas talvez seja assunto para outra coluna. O que nós muitas vezes esquecemos é que ele é, antes de tudo, uma pessoa com nome, sentimentos, medos e aflições. E a máscara e todo o universo criado pela figura do cavaleiro das trevas é uma maneira de esquecer ou até mesmo superar os problemas que a vida lhe trouxe. 

E essa é a premissa que o autor Tracy Hickman utiliza nesse livro. A história é diferente das tradicionais de Batman, nas quais ele enfrenta vilões do calibre de um Coringa ou Charada. Ok, em Wayne de Gotham o palhaço do crime também aparece, mas está longe de ter um papel central como em A Piada Mortal, um dos quadrinhos mais emblemáticos da dupla. A trama é, acima de tudo, sobre Bruce Wayne e o que está por trás do assassinato de seus pais, Thomas e Martha, algo que nunca deixou de assombrar o grande herdeiro de toda a fortuna da família Wayne. 

E, para mim, esse foi o grande acerto do autor. Todos que acompanham as histórias de Batman sabem que seus pais foram mortos ao sair de uma apresentação de teatro em uma noite fria de Gotham City, em um beco sujo e largado. No entanto, a motivação para o crime nunca foi devidamente explicada. E é essa verdade que Bruce procura em Wayne de Gotham. Será que seus pais eram realmente as pessoas de bem que sempre aparentaram ser? 

O livro tem muita ação e diálogos bem interessantes entre Bruce Wayne e Alfred Pennyworth, o eterno mordomo da família e grande tutor de Bruce, já que os pais morreram quando ele era apenas um menino. Acredito que o livro é também importante para desmitificar um pouco a crença de que o Batman é uma máquina invencível e incansável. No fim, apesar de ser bilionário, algo que muitos de nós jamais seremos, lá no fundo o cavaleiro das trevas tem dentro de si aquele menino inocente e inseguro, que muito cedo conheceu as crueldades da vida e se preparou para superá-las. 

Em Wayne de Gotham, talvez o Batman descubra que tudo pelo que sempre lutou não passava de uma grande mentira. Talvez ele entenda que Gotham não precisa de um herói encapuzado que se arrisca todas as noites para salvar inúmeras vidas. Thomas e Marta Wayne nunca foram tão presentes em uma história do homem-morcego, e nesse livro eles são quase personagens principais, mesmo que fisicamente já não estejam mais nesse mundo. Com certeza quem ler Wayne de Gotham passará a enxergar o Batman de diferentes ângulos, não apenas como aquele super-herói implacável. Uma ótima e interessantíssima leitura.
 

Colunistas - RIC Mais PR
Guilherme Osinski
Guilherme Osinski Seguir

Formado em jornalismo pela PUCPR, Guilherme Osinski é natural de Curitiba e apaixonado por livros, principalmente os de suspense e ficção policial.

Ler matéria completa
Indicados para você